Nas redes sociais, Emily Lima se despede da seleção: “Saio com sentimento de dever cumprido”.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A treinadora Emily Lima usou as redes sociais para se despedir da seleção feminina. A treinadora foi demitida hoje pela manhã.

Na publicação, a treinadora agradeceu a oportunidade do Presidente Marco Polo Del Nero e também as atletas e salientou alguns avanços do trabalho à frente da seleção.

Confira a publicação na íntegra:

Gostaria de agradecer a CBF, ao Presidente Marco Polo Del Nero que pediu minha contratação, pela oportunidade de dirigir a seleção brasileira neste período de quase 1 ano. Quero agradecer as atletas, que enviaram uma carta ao mandatário da CBF, elogiando a nossa comissão e pedindo pela a permanência do nosso trabalho. Nos dedicamos muito para ajudar a modalidade no país. Trabalhamos muito para colocar em prática o futebol moderno e atualizado. Nosso trabalho é sério e diário. Um time só vai para a frente unido e infelizmente eu não tinha o respaldo do coordenador técnico. Meu jeito de trabalhar intensamente não era bem visto. Foi um período muito bom. Apliquei o que tenho de convicção para o trabalho e para a vida. Honestidade sempre. A justificativa da demissão já é conhecida por todos técnicos e técnicas do Brasil, os números. Na minha cabeça para evoluir é essencial atuar contra seleções mais fortes. Foi o que fiz. Foram 7 vitórias, 1 empate e 5 derrotas. Inclusive, não perdi para países abaixo do Brasil no ranking da Fifa. Seria péssimo. Isso não aconteceu no meu comando. Saio com o sentimento de dever cumprido. Abraços.

Uma publicação compartilhada por Emily Lima -Téc Sel Brasileira (@emilylima_oficial) em


Gostaria de agradecer a CBF, ao Presidente Marco Polo Del Nero que pediu minha contratação, pela oportunidade de dirigir a seleção brasileira neste período de quase 1 ano. Quero agradecer as atletas, que enviaram uma carta ao mandatário da CBF, elogiando a nossa comissão e pedindo pela a permanência do nosso trabalho. Nos dedicamos muito para ajudar a modalidade no país. Trabalhamos muito para colocar em prática o futebol moderno e atualizado. Nosso trabalho é sério e diário. Um time só vai para a frente unido e infelizmente eu não tinha o respaldo do coordenador técnico. Meu jeito de trabalhar intensamente não era bem visto. Foi um período muito bom. Apliquei o que tenho de convicção para o trabalho e para a vida. Honestidade sempre. A justificativa da demissão já é conhecida por todos técnicos e técnicas do Brasil, os números. Na minha cabeça para evoluir é essencial atuar contra seleções mais fortes. Foi o que fiz. Foram 7 vitórias, 1 empate e 5 derrotas. Inclusive, não perdi para países abaixo do Brasil no ranking da Fifa. Seria péssimo. Isso não aconteceu no meu comando. Saio com o sentimento de dever cumprido. Abraços.”

Comente

comments